ANTIGOS DEVERES: Do poder político

square_compasses.svg

O segundo tema dos Antigos Deveres respeita ao relacionamento que o maçon deve ter com o Poder Político e respectivas autoridades.

Eis o seu teor:

Um Maçon é sempre um súbdito pacífico, respeitador do poder civil, em qualquer lugar que resida ou trabalhe. Jamais está implicado em conspirações ou conluios contra a paz e a felicidade da nação, nem se há-de rebelar contra a autoridade, porque a guerra, os derramamentos de sangue e as perturbações, têm sido sempre funestas à Maçonaria. Assim, os antigos Reis e Príncipes sempre estiveram dispostos a proteger os membros da corporação posto que sua tranquilidade e fidelidade, que refutavam praticamente as calúnias de seus adversários, realçavam a Honra da Fraternidade, que sempre prosperou em tempos de paz. De modo que, se um Irmão se rebelasse contra o Estado, não deveria ser sustentado em seus actos. Todavia, poderia ser confortado, como um infeliz, e se não for reconhecido culpado de nenhum outro crime, embora a fiel Confraria deva desaprovar sua rebelião para não dar ao governo motivo de descontentamento e para evitar que alimente suspeitas, não se pode excluí-lo da Loja, suas relações com ela permanecendo invioláveis.

A Tradição Maçónica, mantida pela Maçonaria Regular, enfatiza, assim, o respeito da maçonaria e dos Maçons pelo Poder constituído. É no quadro da organização social existente e da Legalidade vigente que a Maçonaria se move e que os maçons se procuram aperfeiçoar e, pelo seu exemplo, contribuir para a melhoria da sociedade. Mas a Maçonaria não tem intervenção directa na Política.

Como sabemos, esta não é a orientação da Maçonaria Liberal, que entende poder e dever intervir politicamente e, mesmo, se necessário, activamente contribuir para mudanças revolucionárias na estrutura do Poder, na linha da orientação assumida pelo Grande Oriente de França na época da Revolução Francesa.

A observância estrita ou o entendimento de que caiu em desuso este Antigo Dever constitui uma das linhas de fractura entre as duas grandes tendências da Maçonaria.

In Blog "A Partir Pedra" - texto de Rui Bandeira (27.02.07)